Arquitetos e criadores ocupam Atelier Fernando Jaeger, no Rio de Janeiro, com Mostra “A Casa de quem cria”

A casa centenária, no bairro do Jardim Botânico, onde funciona a loja do designer Fernando Jaeger no Rio de Janeiro recebe a mostra “A Casa de quem cria”.  Com curadoria de Simone Raitzik, a proposta da iniciativa é de transformar a loja em uma casa de verdade. Para isso, ela convocou um time formado por profissionais da arquitetura, designers de interiores, designers de produto, artistas, cenógrafos, além de diversos outros ligados à indústria criativa. Os resultados deste projeto podem ser conferidos ao longo de 11 ambientes do imóvel tombado.

Cada ambiente foi entregue a um profissional da arquitetura, que teve a missão de desenvolver um espaço para uso de um criador(pessoas ligadas às áreas de moda, artes plásticas, design, cenografia etc). Dessa forma, todos os ambientes são inspirados em uma pessoa real, que exerce a criatividade no seu dia a dia. A temática não poderia ser diferente: o desafio de criar espaços voltados para a introspecção e que fossem propícios ao confinamento, necessários em tempos de isolamento social. O interessante da mostra é ver esse mix & match da linha Fernando Jaeger, que inclui móveis, tapetes, almofadas e luminárias criadas pelo design juntamente com trabalhos assinados pelos profissionais criativos convidados como obras de arte, cerâmicas, bordados, luminárias, tecidos tingidos, além das diversas interferências artísticas em algumas peças de mobiliário. A casa ganhou vida e um colorido todo especial.

“A gente sempre fez mostras sobre criatividade. E, nesse momento tão difícil, voltamos a ela. Acho que a criação é um alimento. Para qualquer pessoa, não apenas aquelas que trabalham nessa indústria. Todo mundo pode e deve buscar a sua criatividade. E, com essa exposição, esperamos também servir um pouco de inspiração para que as pessoas vejam que é possível fazer coisas diferentes, sair dos trabalhos mais mecânicos e criar”, destaca Regina Kato, sócia de Fernando Jaeger no Rio.

A primeira edição da mostra “A Casa de quem cria” conta com a participação de um time bastante experiente e talentoso: Cris Passos com a estilista Isabela Capeto; Fita Arquitetura em parceria com a ceramista Denise Braune; Estúdio Villa/Julia Villela com a designer  Claudia Savelli; Isabella Lucena com a cenógrafa Andrea Brito Velho; Carolina Wambier com a tinturista Cristina Aché; PKB Arquitetura com a consultora de moda e arte Cris Pinheiro Guimarães; Nativa Paisagismo com a ceramista Elisabeth Rocha; Linha Arquitetura com a tecelã Tina, da Voador Tecelagem; B.Co Arquitetura/ Patricia Batista com a artista plástica Lila; Tânia Chueke e Erika Duarte com artistas bordadeiras e curadora de arte Sonia Salcedo; além de Tania Chueke e a Circulação Galeria que teve como inspiração a curadora Sonia Salcedo.

Conheça os ambientes

Espaço Terra, por Fita Arquitetura/Criadora: Denise Braune, ceramista

A proposta do espaço foi utilizar os móveis de forma não convencional. Dessa forma, as peças adquiriram funções mais contemplativas.  Uma estante com bancos empilhados que transformou em prateleiras e nichos, trazendo um fundo cheio de movimento para a sala. A ceramista Denise Braune agrega materialidade ao ambiente, com elementos naturais como terra, água, madeira, areia, palha e pedra.

Fotos: André Nazareth

Reunião de Afetos, por Estúdio Villa/Criadora: Cláudia Savelli

Com referências ao estilo vintage, a sala íntima da designer Claudia Savelli reúne um pouco de tudo que faz parte do seu universo: arte, mix de materiais, cores e texturas, móveis leves e versáteis, além de peças pessoais, escolhidas ou desenvolvidas por ela. O toque contemporâneo aparece no papel de parede e o lúdico, nos detalhes como o tapete e nas fitas, adereços e miçangas que passeiam pelo espaço.

Fotos: André Nazareth

Simples & Natural, por Isabella Lucena/Criadora: Andrea Brito Velho

Descontração e sofisticação caminham lado a lado neste ambiente. Tudo para materializar o universo da homenageada, a cenógrafa e produtora de arte Andrea Brito Velho. Para traduzir o tom minimalista e orgânico, inspirado pelas linhas do mobiliário, o layout foi pensado para deixar a circulação mais livre, criando um ambiente mais intimista. Juntas, arquiteta e criadora a luminária em papel de arroz, que também segue as linhas orgânicas.

Fotos: André Nazareth

Tenda Azul, por Carol Wambier/ Criadora: Cristina Aché

O espaço, que funciona como um estar ao livre foi pensado como um refúgio para a criação, leituras, descanso e contemplação. A maior parte das peças utilizadas é feita com a técnica de tingimento milenar japonesa, o shibori, que dá às fibras uma tridimensionalidade. Como está instalado em uma área aberta, a arquiteta projetou uma cobertura em aço branco com forração em palha de eucalipto. Destaque para o sofá, em algodão cru, um convite à permanência e para o belíssimo jardim, que abraça o visitante.

Fotos: André Nazareth

A Artista Bordadeira, Fio da Meada, por Tânia Chueke e Erika Duarte/Criadora: As Bordadeiras

Pensado como um espaço para criação de uma artista bordadeira, neste ambiente, as estrelas são os fios, lãs, tramas, agulhas e tecidos que podem ser observados de todos os ângulos, demonstrando que o espaço está em constante transformação.

Fotos: André Nazareth

Moda, Arquitetura e Arte, por PKB Arquitetura / Criadora: Cris Pinheiro

O mote dessa sala foi a elegância irreverente da homenageada, a consultora de moda, arte e decoração, Cris Pinheiro Guimarães.  A proposta foi criar uma atmosfera extremamente elegante e muito impactante. A cor vermelha aparece de forma marcante, e serve como conexão entre um trabalho em tecido e uma roupa criada pelo estilista Guto Carvalho Neto, além dos móveis de Fernando Jaeger.

Fotos: André Nazareth

Jardim das Memórias, por Nativa Paisagismo / Criadora: Elizabeth Rocha

Repleto de avencas e trabalhos da ceramista homenageada, este jardim nos remete à memória ancestral, que guarda no tempo diversas crenças, lendas e mitos. A parede ao fundo recebeu um painel ripado em madeira, além de um jardim vertical e uma cobertura com palha de dendê. É o espaço ideal para momentos de descanso em meio à natureza.

Fotos: André Nazareth

Sala de Jantar da Tina, por Linha Arquitetura / Criadora: Valentina Stefani – Voador Tecelagem

Como em toda sala de jantar, a mesa é o coração do espaço. Ao redor, doses de criatividade, tecidos, novelos, fios, agulhas, e tudo o que Tina precisa para fazer sua tecelagem decolar. O ambiente se destaca pelo uso das cores de forma inteligente e muito bem-humorada. Destaque para a parede com peças afetivas garimpadas em diversas feirinhas e brechós e para os bancos, que receberam forração de tapeçaria com arte exclusiva.  

Fotos: André Nazareth

Ponto de Encontro, por Cris Passos / Criadora Isabela Capeto

Um lounge alegre, divertido e intimista, com referências e detalhes que a própria homenageada, Isabela Capeto, idealizou. Um lugar para receber amigos e beber um drink antes do jantar. Apaixonada por decoração, Isabela ficou animada com o convite e mergulhou de cabeça na criação. Juntas, conseguiram desenhar um espaço sob medida para receber amigos com um sofá gostoso, cercado de arte e aconchego. O espaço ainda contou com a contribuição da paisagista Anna Luiza Rothier, que coincidentemente é tia da homenageada.

Fotos: André Nazareth

O Olhar Além do Ver, por B.CO Arquitetura/ Criadora: Lila

Um espaço solar, fluido e afetivo, criado para abrigar diferentes pessoas e múltiplos olhares. Tirando partido do pé direto duplo e da luz natural, a base completamente branca das paredes, teto e escada funcionam como uma espécie de rebatedor, permitindo a contemplação sem interferências. A obra da artista Lila, criada a partir da técnica do pontilhismo remete à traços de ansiedade, diversidade e também à esperança.

Fotos: André Nazareth

Circulador de Arte, por Tânia Chueke /Criadora: Sonia Salcedo

A circulação da casa da curadora foi pensando com um espaço expositivo. Aqui, o corredor, circulação ou hall se caracteriza por ser um espaço arquitetônico que leva a experiências transitórias. O conceito curatorial toma esse estado de transitoriedade e aborda a ideia de fluxo como elo entre os cômodos da casa. Ou melhor: ambientações.

Fotos: André Nazareth
Rolar para cima