Cálculo de rampas

Para falar de rampas é necessário levar em consideração a NBR 9050 (ABNT NBR – NORMA BRASILEIRA 9050 – Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. São consideradas rampas as superfícies de piso com declividade igual ou superior a 5 %.

Abrindo um parêntese, no último dia 3, foi publicada a 4ª edição (03/08/2020) da ABNT NBR 9050:2020 – Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. “Esta Norma estabelece critérios e parâmetros técnicos a serem observados quanto ao projeto, construção, instalação e adaptação do meio urbano e rural, e de edificações às condições de acessibilidade. (…) Esta Norma visa proporcionar a utilização de maneira autônoma, independente e segura do ambiente, edificações, mobiliário, equipamentos urbanos e elementos à maior quantidade possível de pessoas, independentemente de idade, estatura ou limitação de mobilidade ou percepção.  (…) Para serem considerados acessíveis, todos os espaços, edificações, mobiliários e equipamentos urbanos que vierem a ser projetados, construídos, montados ou implantados, bem como as reformas e ampliações de edificações e equipamentos urbanos, atendem ao disposto nesta Norma.”, dispõe a NBR 9050. No link, ao final dessa matéria, você poderá ler, na integra, a 4ª edição da Norma.

Mas voltando ao nosso assunto, a maneira como calculamos as rampas é a mesma considerada quando calculamos as inclinações de taludes ou de telhados. Então se você entender bem o cálculo de rampas você vai conseguir resolver inúmeros problemas durante seus projetos.

Toda inclinação é calculada a partir do desnível a ser vencido e do comprimento a ser descrito pela rampa. Ou seja, a inclinação de qualquer rampa nada mais é que uma regra de três: é igual a altura do desnível a ser vencido multiplicado por 100, dividido pelo comprimento da projeção horizontal que você dispõe para descrever essa rampa

Foto: gyn9038/iStock

Pela NBR 9050/2020 (p. 58), para uma rampa acessível à um cadeirante, ela deve ter inclinação de acordo com os limites estabelecidos. Para inclinações entre 6,25 % e 8,33 %, é recomendado criar áreas de descanso nos patamares.

Quando não houver paredes laterais, as rampas devem incorporar elementos de segurança, como guarda-corpo, corrimãos e guias de balizamento.

Foto: Supersmario/iStock
Rolar para cima