MOBILIÁRIO

Helô Franco reúne acervo criado por um jovem colecionador

Thiago Leone (foto: Petrônio Amaral)
Thiago Leone (foto: Petrônio Amaral)

Lançada oficialmente durante a última edição da CASACOR Minas, a Helô Franco Arte, chega ao mercado pelas mãos de Thiago Leone, um jovem colecionador de mobiliário de época. Com apenas 26 anos, o advogado é proprietário de um acervo riquíssimo que inclui adornos e peças de mobiliário, especialmente os franceses produzidos nos séculos 18 e 19. Com o passar do tempo e à medida em que ia adquirindo e recuperando novas peças, Thiago foi sentindo a necessidade de tornar público este acervo e de comercializá-lo para viabilizar sua constante renovação. Por conta disso, está investindo atualmente na abertura de um showroom, no centro da capital mineira, para comercialização de peças do seu acervo, que não para de crescer. A proposta é que o novo espaço comece a funcionar logo que o comércio obtiver as devidas autorizações para funcionamento.

O gosto pelo colecionismo veio de família. As avós de Thiago sempre admiraram as antiguidades e faziam questão de preservar as peças já existentes na família como as louças e pratarias. Acompanhando essa tradição, o menino foi tomando gosto e entendendo o valor daquelas relíquias cheias de histórias. Tanto que a sua primeira aquisição veio aos 14 anos de idade, adquirida com o dinheiro de sua mesada “Era um prato francês, adornado com uma cena campestre e suas bordas eram banhadas a ouro”, destaca Leone. Perguntando se teve êxito na primeira compra, o colecionador destaca que a peça definitivamente não valia o que lhe foi cobrado por ela, mas a história já estava traçada e este foi apenas o início de sua jornada no garimpo de peças.

Com o passar do tempo, Thiago Leone começou a se interessar cada vez mais por mobiliário, especialmente os de estilo europeu como os franceses, ingleses e portugueses, além dos estilos considerados de transição e os híbridos, amplamente encontrados no Brasil. Outras peças que merecem destaque na sua coleção são os espelhos venezianos e os móveis mineiros com palha natural, a popular palhinha, que dominou o mercado durante muito tempo e voltou com força total nos últimos anos, inclusive nas linhas mais contemporâneas.

Apesar de relativamente nova, a Helô Franco já está fazendo história na capital. Além do lançamento na maior mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo do estado, com peças expostas em ambientes importantes como Gabinete do Governador, Lavabo e Suíte dos Convidados, a marca ainda está presente no Grande Hotel Ronaldo Fraga, onde o público pode apreciar expostas diversas peças importantes do acervo.

Curadoria e Restauro

As peças que integram o acervo da Helô Franco são adquiridas em diversas partes do país a partir de um extenso trabalho de pesquisa e curadoria do colecionador, que se preocupa em oferecer trabalhos diferentes dos que podem ser encontrados em outros lugares do gênero. “Procuro um trabalho na madeira diferente, um adorno diferente, uma marcheteria que seja diferente da maioria que vemos por aí.”, destaca. As peças são colocadas à venda após um minucioso restaurado realizado pela equipe da Helô Franco, que também oferece este serviço para pessoas que precisam restaurar algo que possuam em casa.

Mas engana-se quem pensa que a Helô Franco é mais uma loja ou antiquário da cidade. Muito pelo contrário. A ideia de Thiago Leone é que o showroom tenha um diálogo constante com o contemporâneo, provocando combinações até então pouco exploradas. A proposta é que o lugar funcione também como uma espécie de centro de memória, focado na difusão de informações e conhecimentos sobre a cultura do colecionismo e do mobiliário, abrigando diversas atividades relacionadas a esse universo como cursos, bate-papos, visitas guiadas, entre outros.

Rolar para cima