Athos Bulcão, o pai da azulejaria brasileira

A tradição da azulejaria remete às manifestações artísticas presentes no Egito antigo, passando por civilizações da Mesopotâmia, pelo Império Otomano, mas foi somente algum tempo depois, mais precisamente no século 16, em Portugal, que a arte de azulejar passou a ser considerada uma expressão cultural.  No Brasil, desde o período colonial com sua instauração, passando pelo seu resgate na década de 1930, a azulejaria se popularizou enquanto atividade e por meio do uso dos azulejos como ornamentos arquitetônicos e decorativos. Em todos esses anos em terras brasileiras, ninguém fez mais para a azulejaria nacional do que o inconfundível Athos Bulcão, com seus traços inconfundíveis, cores marcantes, exaltando uma personalidade que se transformou em símbolo de brasilidade. Por este motivo ele é considerado como o pai da azulejaria brasileira.