CORES E TINTAS

Tons terrosos dominam os ambientes da CasaCor 2021

O ‘novo morar’ despertado na pandemia, com mais tempo em casa e ambientes multifuncionais, animou muitas pessoas a renovarem a decoração. E qual forma é mais democrática do que pintar as paredes? Depois de um hiato de pouco mais de um ano de seu formato habitual, a CasaCor – maior mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas, ao reunir renomados profissionais em 17 eventos nacionais (além de edições internacionais) –, está de volta. Em Minas Gerais, chegou a sua 26ª edição com muitas inspirações. Os tons terrosos tiveram presença marcante, não somente em Belo Horizonte, mas também em outras mostras espalhadas pelo Brasil, reforçando o tema da CasaCor 2021, a Casa Original.

Jomar Bragança

A Cor do Ano de 2021 da Coral, Pedra Esculpida, na Suite Líder, por João Daniel

“Este ano, vimos uma grande busca por ambientes que trouxessem aconchego, esta sensação sendo obtida por formas orgânicas, cerâmicas, fibras naturais e tons de terracota, que abraçam os ambientes”, conta Priscila Perez, especialista de Colour Design de Tintas Decorativas, da AkzoNobel para a América do Sul. A Coral é a tinta oficial em todas as mostras. Entre as cores terrosas, que aparecem nas paredes e tetos desta edição mineira, estão: Pote de Argila; Teatro Barroco; Vitrola Retrô; Vermelho Henna; Toque Cerejeira; Cerâmica Mineira, e entre cores como Jardim Vertical; Encanto; Azul Frontão; Verde Jade e, A Cor do Ano de 2021 da Coral, Pedra Esculpida, na Suíte Master, projetada pelo escritório João Daniel Arquitetura.

Divulgação
Priscila Perez

O Palácio das Mangabeiras abrigou vários espaços com os efeitos especiais Cimento Queimado e Velvet, ambos produtos da Coral já considerados queridinhos dos profissionais da área. Se o primeiro confere um ar moderno aos ambientes, o segundo cria uma atmosfera aconchegante, com sua aplicação aveludada. A novidade é que as cores não precisam ser tão neutras. “É interessante notar que o Cimento Queimado não precisa ser cinza, como muitas pessoas visualizam quando se fala nesse efeito. Na mostra, podemos ver o resultado da aplicação em tons de verde e terracota”, ressalta a especialista em cores.

Um exemplo é ‘A Casa Voktum’, um espaço inteiramente construído para a CasaCor Minas, privilegiando a integração com as áreas internas e externas, em um diálogo permanente. O ambiente de Bárbara Nobre usou o efeito Cimento Queimado, na cor Jardim Vertical, um tom verde que traz a natureza para dentro de casa – o paisagismo é de Valter Braga. Nesse projeto, é possível ver, na prática, uma das tendências apontadas pelo Colour Futures 2022, o estudo global de cores e tendências da AkzoNobel, a ‘Necessidade de Natureza’ – que nos faz pensar em como integrar a natureza aos centros urbanos, levando o verde e as plantas para dentro de casa, e como tornar a nossa vida mais sustentável e saudável. Madeiras maciças; palhinhas; um desenho orgânico no tapete desenhado pela própria arquiteta. As referências da busca pelo ambiente reconfortante estão todas lá.

Divulgação

Já o ambiente de Linda Martins, da Maraú Design, optou por Pote de Argila, com efeito Velvet, uma sensação aveludada, que passa aconchego e sofisticação, ao mesmo tempo em que conversa com os diversos elementos do projeto. O refúgio de descanso reflete o espírito acolhedor do mineiro, além de buscar a hospitalidade por meio de texturas e materiais rústicos, que leva naturalidade para dentro de casa. O ambiente é composto por sala de leitura, suíte com sala de banho e banheiro. Com estilo contemporâneo e base brutalista, o projeto da suíte foi pensado para fazer uma analogia com o tempo em que vivemos, o cenário pandêmico, que apresenta uma sociedade reclusa, mas que busca, nos detalhes amor e acolhimento para o interior. Intitulada ‘Os Brutos também amam’, faz jus ao nome. Para aquecer, elementos como a madeira; as texturas; tramas e a presença de tons quentes, como o terracota, que aparece nas paredes.

Divulgação

A ousadia nas cores, mostrando o quanto elas tornam os espaços únicos e impactantes, aparece no ambiente da ‘Galeria Abreu’. A arquiteta Patrícia Abreu trouxe a cor Encanto, como protagonista de todo o espaço, proporcionando ao visitante uma experiência única com cor e arte. Isso porque a instalação foi pensada não somente como um local de passagem, mas de transição, que leva o espectador a repensar a casa por meio da arte, do design e da arquitetura – não à toa, pilares da Abreu Arquitetura. Os trabalhos em arte digital de Christus Nóbrega e Anna Bella Geiger se sobressaem nas paredes pintadas em magenta e iluminação cuidadosamente pensada, estruturada a partir de placas acústicas alinhadas em diferentes comprimentos.

Divulgação

“Esse ambiente é um verdadeiro convite à experimentação, ao sensorial. Esperamos que inspire as pessoas a não ter hesitação em ousar e tornar as paredes protagonistas. É inegável a energia que as cores nos proporcionam, que pode ser balanceada e harmonizada em um universo múltiplo de possibilidades, considerando o mobiliário e objetos de decoração”, afirma Priscila Perez.

Rolar para cima