A CASA ORIGINAL

A casa Original nos remete a pelo menos 3 possibilidades significativas:

A casa de origem, dos nossos antepassados.

A casa autêntica, original, que não é copiada.

A casa inovadora, excepcional, autêntica na sua tipologia.

Como queremos que seja, ou necessitamos que seja, uma casa original para o século XXI? Um século marcado por diferentes crises de caráter, entrelaçadas entre si. Com os aspectos econômicos, políticos, ecológicos, religiosos e condições sanitárias peculiares.

O Clube de Roma entregou em 1972 o famoso informe: “Os Limites do Crescimento”, e, deste então, a discussão de um desenvolvimento sustentável com equilíbrio econômico-ecológico tem título e data de início.

Quando os Geólogos propõem a Era do Antropoceno, em 2008, como unidade geológica (Época em que humanos substituíram a natureza como a força ambiental dominante na Terra), as controvérsias começaram para definir seu começo. Se entende que, onde tem seres Humanos, tem Mundo (Welt; Heidegger/ Sloterdijk). Onde há homem, há um fazer humano evolutivo…ascendente, descendente, glorioso, devastador, compassivo, expectante e extraordinário.

Foto: Penthaus à la Parasit

A “Penthaus à la Parasit” é um projeto artístico – arquitetônico de Jakob Wirth e Alexander Sacharow que propõe uma alternativa não periférica para o problema habitacional nas cidades. Hoje o Senado de Berlin acredita se poder construir 50.000 novas moradias nos tetos existentes.

Nós, Claudia Amil Martin, Filósofa & Zelina Guerra, Arquiteta, vamos vislumbrar juntas para a ABREU a fascinante arte de morar, construir & viver daqui de Hamburgo, a Veneza do Norte da Alemanha. 

A nova consciência de como construir está apenas começando… considerando que, a Humanidade tem um Problema de Emissão (CO2) e, não de Energia…

Werner Sobek, (Arquiteto, Professor, Doutor & Pesquisador) propõe os TRÊS ZEROS multiplicadores:

ZERO Energy, onde a casa é autossustentável;

ZERO Emissions, onde não polui;

ZERO Waste (lixo).

É o princípio da Irmandade praticado na Casa Ativa B10 no icônico Weißenhofsiedlung. Materializando a união da “Casa Original” com vizinhos, rua, bairro, e a cidade.

Fotos: Zooey Braun

Aktivhaus B10, por Werner Sobek – Stuttgart/Alemanha

Jaimrsilva, CC BY-SA 4.0 , via Wikimedia Commons

Casa de Le Corbusier, construída em 1927 – Stuttgart/Alemanha

Ao lado da casa de Le Corbusier, construída em 1927 no Weißenhofsiedlung que foi um marco para arquitetura moderna liderado por Mies van der Rohe, temos hoje, quase 100 anos depois a Aktivhaus B10, Casa Ativa, que além de ser autossustentável energeticamente poderá também suprir a casa vizinha, hoje Museu Weißenhofsiedlung. Um exemplo do princípio da irmandade da nova Era Digital.

Superando a passividade na construção, Werner Sobek propõe uma Casa Ativa – Aktivhaus B10 a altura da era digital: primeiro foi o fogo, depois a geladeira e agora o Chip Inteligente que será imprescindível…

Rolar para cima