ABREU DESTACA – FOTOGRAFIA

Nesta sétima edição, vamos apresentar um pouco sobre a trajetória da fotógrafa Rafaela Netto. Formada em Fotografia pelo Senac, o interesse pelo ofício surgiu em 2002, quando se mudou para Toronto, no Canadá. Nesta época, ela tinha uma câmera compacta que nem funcionava muito bem, mas carregava o equipamento para todos os lugares e foi sua parceira inseparável os primeiros registros. A fotografia foi ganhando cada vez mais espaço no dia a dia e ela acabou se matriculando nas aulas da disciplina na escola, foi quando teve seu primeiro contato com uma câmera profissional e com o laboratório de revelação em P&B.

Ana Mello
Rafaela Netto - foto por Ana Melo
A fotógrafa Rafaela Netto

De volta ao Brasil, em 2004, Rafaela logo se matriculou no Bacharelado em Fotografia e desde então se dedica integralmente à profissão. Seus primeiros trabalhos foram na área de eventos, mas queria seguir por um caminho onde tivesse mais autonomia. Mas aproveitou a oportunidade para ir investindo na compra de equipamentos e conquistado mais vez mais experiência antes de partir para outra área. Paralelamente,  começou a trabalhar com impressões fine art, além de ser assistente do premiado fotógrafo Ricardo Teles, de quem também é amiga.

O primeiro contato com a fotografia de arquitetura se deu em 2010, quando foi trabalhar com experiente Nelson Kon, especializado na área, mas os primeiros trabalhos autorais vieram em 2013, quando foi contratada por um escritório para registrar um projeto que eles consideravam muito importante. Apesar do nervosismo, o resultado final agradou a todos e a imagens chegaram a ser publicadas em diversos veículos. Isso fez com o que o trabalho de Rafaela Netto se tornasse conhecido no segmento e logo rendeu novos convites. “Logo comecei a ser procurada por escritórios para fotografar todo tipo de projeto, desde pequenas reformas até centros culturais, projetos de iluminação e de exposição de arte”, reflete a fotógrafa. Isso fez com que ela tivesse a oportunidade de trabalhar com diversos profissionais e escritórios, entre eles nomes como: André Luque, Cr2 Arquitetura, FGMF Arquitetos, Gema Arquitetura, Hungaro Arquitetura, Vão, Rodrigo Ohtake e Zanine Caldas .

Há dois anos, a Apalmanac, uma revista digital especializada em fotografia, fundada pelo norte-americano Mike Kelley, e com correspondentes em vários países, chegou a publicar um texto crítico sobre um ensaio que Rafaela fez para um projeto do escritório FGMF Arquitetos ainda no início da sua carreira. “Hoje olho para aquelas fotos e vejo outra Rafaela fotógrafa, mas saber que elas repercutem até hoje me dá confiança no meu trabalho”, acrescenta.

Quando questionada sobre suas principais referências na área ela dispara: Nelson Kon, a eslovena Danica O. Kus, a suíça Hélene Binet(reconhecida por registrar os projetos de Daniel Libeskind, Peter Zumthor e Zaha Hadid), o inglês Allan Crow e o norte-americano Julius Shulman. Além disso, revela ser grande admiradora do trabalho do brasileiro Araquém Alcântara, especializado em captar imagens da natureza. “Todos os dias vejo fotos dele”, finaliza.

Rolar para cima