PROJETOS

Casa Onze e Ateliê de Christus Nóbrega, por Gero Tavares

Nesta edição vamos conhecer este projeto recém finalizado criado pelo arquiteto Gero Tavares que abriga uma casa e também um ateliê. Localizado dentro de um condomínio fechado nas imediações de Brasília, a missão do arquiteto foi projetar sua própria casa e também o ateliê para o seu companheiro, o artista, Christus Nóbrega

Fotos: Luara Baggi

Apesar de se tratar de duas construções distintas, com usos diversos, a intenção do projeto de Gero Tavares foi unificar o estilo e a escolha foi pelo industrial.  Além da questão estética e da agilidade durante a construção, a possibilidade de integração dos ambientes bem como as facilidades permitidas pelo método construtivo como manter vigas e estruturas aparentes, encanamentos, conduítes e outros materiais aparentes foram fundamentais na concepção dos layouts.

“Quando aparentes, criam uma atmosfera urbana e moderna na decoração. O truque é equilibrar o peso dos metais expostos, dando equilíbrio aos ambientes. A grande vantagem é que, na hora de reformar ou fazer uma manutenção, é muito mais fácil de trocar os pontos de luz ou instalar mais tomada, sem quebra-quebra”, resume o arquiteto Gero Tavares.

Fotos: Luara Baggi

Dessa forma, o foco do projeto ficou concentrado para a agilidade na obra e também para a sustentabilidade uma vez que as construções estão em meio à natureza. Por conta disso, o arquiteto abusou de recursos construtivos como o uso de containers marítimos, estrutura metálica e Ligth Stell Frame, possibilitando que tudo ficasse pronto em um prazo bem menor do que as construções convencionais. “A obra começou em fevereiro de 2020, com um cronograma organizado para 4 meses de obra. Começamos com a execução das fundações e paredes de arrimo do terreno. Em março, veio a pandemia. Nossa sorte foi ter pensado todo projeto em estrutura metálica e materiais pré-fabricados. Como todos os materiais já estavam encomendados, tivemos apenas que reorganizar o cronograma para permitir a entrada de apenas uma equipe de trabalho por vez, mantendo a segurança e saúde todos. Com isso o prazo de execução passou de 4 para 6 meses, mas conseguimos finalizar com toda segurança”, destaca Gero Tavares.

Para garantir o conforto térmico, os containers ganharam revestimento e todos os ambientes contam com janelas em alturas diferentes, o que possibilita a ventilação cruzada e a constante circulação de ar pelo interior. Outro ponto interessante é que a casa é cercada por diversas portas de correr, deixando-a integrada ao jardim. Gero também explica que toda a estrutura externa recebeu aplicação de uma tinta térmica, que ajuda a manter uma temperatura adequada dentro da casa.

Fotos: Luara Baggi

Já o Ateliê criado para o artista Christus Nóbrega representa uma série de novas possibilidades para seu trabalho. “Hoje estou em um espaço maior que meu último ateliê. Um lugar mais amplo me permite pensar em projetos também maiores. Possibilita que eu trabalhe simultaneamente em várias obras ao mesmo tempo. Dificilmente inicío e termino um trabalho de uma única vez. Gosto de começar o projeto e deixá-lo repousar. Com mais área consigo ter vários trabalhos repousando simultaneamente. Gosto de ouvir eles conversando entre si… Ao ouví-los, começo a estabelecer algumas conexões entre estes. É assim, que minha exposição surge; ouvindo o diálogo secreto entre as obras”, destaca.

A opção de levar o studio de criação e produção de seus trabalhos para fora da residência partiu de Christus Nóbrega, que já viveu a experiência de produzir tanto em casa como fora. “Quando o ateliê era dentro da minha casa, separava um quarto para ele. Com o tempo, a barreira que tinha delimitado acabava se ampliando e tomando conta da casa inteira. Por isso, procurei montar o ateliê em um espaço perto de minha casa. Assim, eu poderia ir caminhando até lá. E de certa forma, manter um cordão invisível ligando esses dois espaços”, aponta.

Além de ter contribuído para o seu processo artístico, a nova casa e local de trabalho também possibilita um novo estilo de vida para o casal. “Logo no início da pandemia percebemos que o Brasil entraria em um longo e conturbado processo. Tínhamos um terreno a 30 minutos do Plano Piloto, no Jardim Botânico. Decidimos que seria o momento oportuno para mudar nossa rotina. Decidimos construir uma casa e um novo ateliê no espaço. Assim, poderíamos atravessar esse momento um pouco mais isolados, além da possibilidade de cultivar hábitos simples como o de plantar parte de nossos alimentos, e estabelecer uma conexão ainda maior com a terra”, finaliza o artista.

Fotos: Luara Baggi
Rolar para cima